Muito comum em outros países como Estados Unidos, Canadá e Austrália, o movimento Homeschooling ou ensino domiciliar – como é chamado por aqui – tem conquistado voz no Brasil, tanto em meio jurídico quanto educacional. No país, apesar de alguns adeptos à prática, ainda não existe regulamentação sobre. 

Além de não existirem leis que abordem o tema, o ensino domiciliar divide opiniões. Os diferentes posicionamentos em relação ao Homeschooling ficam visíveis ao olharmos o gráfico de  distribuição por sentimento, onde apesar de 44% dos usuários expressarem sentimento positivo, 24% expressaram sentimento negativo e 32% expressaram sentimento neutro. 

Gráfico 1: Distribuição por Sentimento do Radar STILINGUE

Dados e narrativas: o que eles nos trazem?

Gráfico 2: Evolução no Tempo do Radar STILINGUE

Aqui podemos perceber que embora seja um tema bastante atual, possui volumetria baixa de publicações, gerando em torno de 9 publicações mensais. Entretanto possui picos bastante significativos e que marcam os caminhos do Homeschooling não só no Brasil, mas também em outros países. 

Um dos ápices sobre o tema aconteceu em setembro, devido a uma nova legislação nos Estados Unidos, que reaqueceu o tema na internet. Veja abaixo: 

Gráfico 3: Termos Relacionados do Radar STILINGUE

Um marco brasileiro sobre o tema teve repercussão digital significativa: a aprovação no dia 26/09, do ensino domiciliar no Distrito Federal, local pioneiro na decisão. Os caminhos do Homeschooling no Brasil começam a ser traçados, e os dados nos mostram isso.

Gráfico 4: Termos Relacionados do Radar STILINGUE

Em fevereiro podemos ver um novo rumo do ensino domiciliar no Brasil: mais municípios começam a se posicionar em relação a esta modalidade, como foi em Canela, no Rio Grande do Sul.

Gráfico 5: Termos Relacionados do Radar STILINGUE

Outras narrativas: o que mais se fala sobre o Homeschooling?

Gráfico 6: Termos Relacionados do Radar STILINGUE

Os dados mostram que termos como crianças, família, filhos e educação são bastante pontuais quando se busca por ensino domiciliar em meio às publicações na rede. E por se tratar de uma modalidade de ensino onde a família assume o papel central na educação dos filhos, a narrativa se constrói também dando ênfase a este público. 

Outro discurso que aparece referente ao Homeschooling é sobre a Pandemia, momento que trouxe para a realidade dos brasileiros a necessidade do ensino remoto para crianças e adolescentes, e colocou força no movimento pela legalização do homeschooling no Brasil. 

Considerações finais

Apesar do tema Homeschooling estar em destaque no meio educacional, a expressão do assunto nas redes sociais se dá em cima da legalidade ou não da modalidade. Muitas das publicações coletadas ainda referem-se à construção  do Ensino Domiciliar no Brasil, o que desperta muitas incertezas sobre o tema. O gráfico de Termos Relacionados nos mostrou também que a Pandemia pode ter catalisado a discussão, pois forçou muitas famílias a praticarem o ensino em casa. 

Sendo assim, se faz muito relevante o monitoramento deste tema nas redes sociais, para acompanharmos de perto os caminhos que esta modalidade de ensino tomará no Brasil.

Autor

Ana Plentz é formada em História - Licenciatura e Bacharelado. Traz experiências em ambientes escolares, centros de documentação e pesquisa, gestão de pessoas e produção de conteúdo. Atualmente é Analista de Atendimento ao Cliente e trabalha dando suporte em diversas dúvidas sobre a ferramenta STILINGUE. É mãe da Dora.

Escreva um comentário