Entretenimento é algo presente na vida de todos nós, seja lá qual for o seu formato favorito, todos estamos imersos neste mundo de possibilidades. Programas de televisão, esportes, filmes, músicas ou jogos eletrônicos. Basta imaginar, pois em algum lugar do mundo existirá uma opção que vai te chamar atenção. Conteúdo que consegue conectar contigo e vai te deixar pensando sobre por horas ou dias. Qual o motivo dessa conexão?

Muitas coisas podem chamar atenção, mas a representatividade é de longe um motivo de conexão fácil. Perceber que você não está sozinho, existem sim pessoas vivendo momentos semelhantes e te representando nas telonas ou nas telinhas.

Levantamos aqui alguns dados sobre a representatividade da cultura e universo LGBTQ+ dentro de diversos tipos de entretenimento. Queremos ver onde nossos representantes estão brilhando, gerando conteúdo e servindo de exemplo para toda uma nova geração! 

Historicamente, muito se representava este público em formato de comédia ou em busca de tolerância, mas hoje estamos mais focados em aceitação. Estamos aqui, não vamos embora e precisamos de respeito a toda nossa diversidade.  Sim, representatividade importa!

Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis, Transgêneros e Queer+. Onde será que está todo este arco-íris?

Imagem 1: Gráfico de distribuição por canais do WAR-ROOM STILINGUE

Definitivamente mais representados no Twitter, 82,1% das publicações contendo termos da sigla LGBTQ+ foram feitos nesta rede social. Seguido por portais de notícias (5,4%) e publicações do Instagram (4,3%). Dentre os grupos, publicações sobre Gays foi o que apresentou maior volume de publicações, com 66,06%. Seguido por Lésbicas (17,35%) e Transgênero (13,17%). 

Imagem 2: Gráfico de distribuição por grupos do WAR-ROOM STILINGUE

Criamos alguns temas pensando em diversos tipos de entretenimento. Por esta divisão, Música e Filmes tiveram a maior parcela de postagens, seguido por seriados. Na matriz, conseguimos ver a representatividade de cada grupo comparado a cada tema:

Imagem 3: Gráfico de matriz comparativa (visualização por quantidade de publicações) do WAR-ROOM STILINGUE

Lésbicas

Focando nas pouco mais de 55 mil publicações sobre mulheres que amam mulheres, tivemos uma grande relevância para o canal de youtube Censuradas ! e o Twitter @todasapaja.

Dentre os principais termos mais usados, tivemos uma alta do termo Sapatão (25,82%) e diversas sugestões de filmes com temática Lésbica. Achamos uma conversa bem bacana sobre filmes sapatônicos para ver na quarentena e  diversas menções sobre um novo filme de comédia romântica (Você Nem Imagina) e documentário (Secreto e Proibido) da Netflix:

Imagem 4: Gráfico de distribuição por termos do WAR-ROOM STILINGUE
Imagem 5: Gráfico de mídias visuais do WAR-ROOM STILINGUE

Como falar de Sapatão e não falar de Ana Carolina, não é mesmo? A cantora fez sua primeira Live no dia 15 de maio e gerou mais de 11 mil publicações, principalmente usando sua hashtag oficial (#LiveAnaCarolina). Já podíamos prever, mas os dados confirmam: Ana Carolina e Chiara é impossível de não se apaixonar. O casal foi um dos principais assuntos, principalmente por seus olhares apaixonantes.

Imagem 6: Gráfico de termos correlacionados do WAR-ROOM STILINGUE

Transgênero

Mesmo em meio a muitas notícias de violências contra pessoas trans, o grupo com palavras do mundo T, também foi responsável por coletar muitos conteúdos de pessoas trans representando em diversos ramos de entretenimento, principalmente música, filmes e teatro.

Imagem 7: Gráfico de matriz comparativa (visualização por quantidade de publicações) do WAR-ROOM STILINGUE

Tivemos 43.523 publicações sobre Transexuais, Travestis e Transgêneros. Com o grande destaque para o ramo da música, tivemos como mais mencionadas as cantoras Urias, Linn Da Quebrada e Pepita. Principalmente falando sobre novas colaborações e participações em lives:

Imagem 8: Gráfico de termos correlacionados do WAR-ROOM STILINGUE

Já no tema de esporte, podemos acompanhar uma discussão sobre a participação ou não de pessoas trans em categorias profissionais. Nas publicações em que conseguimos identificar o gênero do autor, temos a grande maioria feita por homens (55%) e com maioria de sentimentos negativos (33%):

Imagem 9: Gráfico de Distribuição por Gênero do War-Room STILINGUE
Imagem 10: Gráfico de Distribuição por Sentimento do War-Room STILINGUE

É quase que impossível falar de orgulho sem mencionarmos uma inspiração e motivadora do movimento do orgulho, Marsha P. Johnson. Dentre as narrativas abordando pelo ativismo Trans, seu documentário foi um dos mais mencionados:

Imagem 11: Gráfico de mídias visuais do WAR-ROOM STILINGUE

Gays

Ao analisar o grupo de coleta com os termos voltados para o público Gay, há um movimento curioso: o pico de publicações foi 29 de maio:

Imagem 12: Gráfico de ranking/evolução do WAR-ROOM STILINGUE

Algo em mente? Sim, o grande retorno de Lady Gaga à farofa do Pop. Tão aguardado por toda a comunidade, acabou gerando mais de 279.4K tweets no Twitter (Fonte: https://getdaytrends.com/brazil/trend/%23Chromatica/) e um grande impacto em nossa pesquisa.

Com destaque para suas parcerias (Ariana Grande e BLACKPINK) e a magnífica transição  entre as faixas de Chromatica II para 911, que deixarei disponível aqui caso ainda não tenha escutado.

Imagem 13: Gráfico de termos correlacionados do WAR-ROOM STILINGUE

***Alerta Spoiler***

Algo que também não poderia ficar de fora de nossa pesquisa é o que pode ser considerada as Olimpíadas do mundo LGBTQ+, sabe o que estamos falando? Sim,  RuPaul’s Drag Race. Sobre o assunto, tivemos 84.726 publicações coletadas e a maioria vinda do Twitter (97%). No período da pesquisa, tivemos uma temporada do programa oficial e ainda o anúncio do All Stars 5, versão em que participantes voltam para tentar mais uma vez entrar para o Hall da Fama de Drags ganhadoras. Temos aqui as mais mencionadas na pesquisa:

Imagem 14: Gráfico de distribuição por termos do WAR-ROOM STILINGUE

Pesquisando pelas hashtags usadas na final da décima segunda temporada em nossa base de dados, tivemos 997 coletas para #TeamJaida, 935 para #TeamGigi e 863 para #TeamCrystal.

Jaida Essence Hall foi coroada na última sexta-feira (29) numa final virtual inédita.

Posted by Põe na Roda on Monday, June 1, 2020

Algo bem interessante que pudemos notar é o nascimento e utilizações de novas gírias virtuais, principalmente de YAG. O termo chegou a ter mais de 219 mil publicações no período da pesquisa e entre as publicações com maior número de interações, achamos a própria explicação do termo:

E você já falou com a sua Yag preferida hoje?

Bissexual

Seria a bissexualidade a habilidade de amar demais ou apenas amar sem a barreira do gênero? Bom, cada um tem a sua definição. Uma coisa que conseguimos captar é que temos uma maioria Feminina (65%) falando sobre o assunto. No gráfico Onde estão falando, que exibe a localização (de publicações públicas e com check-in) e distribui no mapa do Brasil, conseguimos ver uma maior incidência de termos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pará.

Imagens 15: Gráfico de Distribuição por gênero do WAR-ROOM STILINGUE
Imagens 16: Gráfico de Onde estão falando do WAR-ROOM STILINGUE

Tia Má (humorista e jornalista), aproveitou o dia internacional contra a LGBTFobia (17 de maio) para mandar um recado para todos que não entendem e não respeita as escolhas das mulheres bissexuais:

Sobre mulheres lésbicas e bissexuais! #lgbt #lesbica #lgbtq🌈 #valedoshomossexuais #vAle #🏳️‍🌈 #pride #amor #respeito

Posted by Tia Má on Sunday, May 17, 2020

Mesmo como um dos grupos com menor coleta, podemos achar a maioria de representantes no mundo da música e principalmente do público feminino. Nas publicações presentes, a cantora mais mencionada foi a Ludmilla. Recém assumida como bissexual e casada com Brunna Gonçalves, lançou seu tão esperado EP, descrito como pagode bissexual.

View this post on Instagram

Mine❤️

A post shared by Ludmilla (@ludmilla) on

Poucas menções direcionaram para homens bissexuais, entretanto achamos um vídeo bastante informativo em que Gabriel Rodrigues conta a sua história de quando se assumiu:

Ufa, bastante coisa né? Estamos em tempos difíceis e muito ainda precisa ser feito, mas fico muito feliz de poder fazer uma pesquisa sobre nossas siglas e achar tanto talento, definitivamente saímos do armário. É mais que notável a evolução na tal representatividade, tanto pelas pessoas mencionadas aqui ou tantas outras!

A luta continua, muito ainda deve ser feito mas estamos por aí, em todos os lugares. Agarre suas bandeiras e aproveite o mês do Orgulho.

Autor

Guilherme Fantinatti é formando de Relações Internacionais pela Anhembi Morumbi e extensão em UX Experience pela PUC-SP. Já trabalhou na área de experiência do cliente no Nubank, Udacity e Wildlife Studios. Na Stilingue, trabalha com produção de conteúdo, capacitação de clientes e criação de estratégias para marcas de diversos segmentos. É Gay e militante da causa LGBTQ+.

Escreva um comentário