Quem nunca se questionou sobre como levar determinado relatório para um novo patamar? Ou como trazer informações novas e surpreendentes para o leitor? Esse foi o assunto que pautou o 7º episódio da série Insight Tellers. Nesta conversa, Gabriela Amaral, Customer Success da STILINGUE e Ana Talavera, Gerente de Inteligência e Pesquisa na Wunderman Thompson falaram sobre formas de gerar insights fora da caixinha utilizando insumos provenientes, principalmente, de Social Listening.

Se você não conseguiu acompanhar a conversa ao vivo, não se preocupe, separamos aqui algumas das principais dicas que foram apresentadas. Confira abaixo:

Saber a teoria ainda é fundamental

Com redes sociais o cenário não é diferente da maior parte das áreas de conhecimento: saber a teoria do monitoramento de redes sociais é essencial para entender as possibilidades que esse modelo oferece.

Entender o funcionamento por trás das plataformas de monitoramento, como os gráficos são gerados, o que eles representam, como eles podem ser personalizados, que tipo de informações são lidas são formas de ajudar os profissionais a identificarem novas opções de análises e de entregas.

Mantenha guardado o histórico da marca ou do assunto

Os dados retroativos da sua marca ou do assunto que está sendo monitorado servirá como ponto de apoio para as análises. Estabelecer esse parâmetro comparativo irá ajudar a entender onde está o padrão de normalidade e onde estão os outliers.

Assim, tudo que estiver fora da “normalidade” pode (e deve) ter um olhar cuidadoso.

Unificar dados de fontes diferentes

As fontes de informação são inúmeras: de redes sociais, dados de Google Analytics, de canais proprietários, de veículos de imprensa, de feedback de clientes, on e offline, etc.

Cruzar diferentes fontes com diferentes insumos irá ampliar a visão que se tem sobre determinado assunto e poderá trazer novas percepções para o negócio.

Estimular uma cultura analítica dentro das empresas

O desafio de estabelecer uma cultura data driven está presente cada vez mais em empresas de todos os setores. 

A pandemia da Covid-19, por exemplo, impulsionou esse processo de digitalização em muitos casos.

Mas, ainda assim, não se trata de um cenário óbvio e natural para muitos. 

Pensando nisso, Ana comentou sobre a relevância de tornar o processo o mais aberto possível dentro da empresa, a fim de fortalecer a importância do dado no dia a dia de todos.

Começar este tipo de análise com um grupo específico, definitivamente pode ajudar a expandir para uma comunidade como um todo.

Se interessou pelo assunto? Para conferir a conversa completa e descobrir outras dicas, acesse:

Se você se interessou por este artigo, leia também:

Insight Tellers – ep 3: Monitoramento estratégico para startups

Insight Tellers – ep 6: Como ser criativo na entrega de relatórios sobre Covid-19?

Autor

Camila Harumi é formada em jornalismo e está no mercado de comunicação digital desde 2013. Traz experiências com gestão e capacitação de equipes, e já atuou como BI, CM, redatora e com Social Listening, principalmente em gestão e prevenção de crise de imagem. Participou também de projetos como eleições presidenciais 2014 e Olimpíadas.

Escreva um comentário