Drops do mercado | Julho 2020

O relacionamento do brasileiro com o café passou por uma mudança com a chegada do surto do coronavírus.

Antes com a população nas ruas e escritórios tinham o hábito de frequentar cafeterias e padarias para tomar o seu café da manhã como também o depois do almoço e outro na pausa durante a tarde como forma de interagir com amigos e colegas do trabalho.

Dessa forma com o isolamento social os estabelecimentos passam a sofrer com as medidas impostas pelo isolamento que tiveram suas portas fechadas.

Portanto durante a pandemia a população muda o consumo para dentro de suas casas e cria novos hábitos como veremos através dos dados coletados das mídias sociais.

Através da análise temporal podemos notar uma leve queda no volume de publicações sobre o cafe.

Sob o mesmo ponto de vista, quando comparamos os três meses durante a pandemia (março a maio) contra os três meses anteriores (dezembro a fevereiro) tivemos uma queda de 10% no volume de publicações.

Ainda em junho tivemos mais redução no volume, um total de 9% contra maio.

Em síntese essa tendência de queda pode ser validada através dos dados reportados pela Robobank, em que o consumo dentro dos lares não será o suficiente para compensar a forte retração nas cafeterias ao redor do mundo.

Onde estão publicando?

O Twitter é o canal que mais concentra publicações sobre o café, em segundo lugar o Facebook e por último Instagram.

Qual é o público que está publicando o que estão sentindo?

À primeira vista, as mulheres é o público que mais compartilha sobre o café e em linhas gerais o sentimento é mais positivo que negativo o que pode demostrar que é o café é compartilhado mais em momentos felizes.

O que estão publicando?

Como forma de comparação podemos ver a seguir o que era publicado antes do início da pandemia e durante.

Período: 01/dez a 29/fev e 01/mar a 30/jun
Gráfico: Termos relacionados do Radar STILINGUE
Como ler o gráfico: os termos do centro são os mais conectados com a comunidade, mas suas extremidades contam diferentes histórias. Já o tamanho dos círculos indicam a relevância dos assuntos nas discussões

Através dos termos conseguimos encontrar que o trabalho fazia parte do consumo do café mas que ele não está tão relevante durante a pandemia que deixa de aparecer com frequência ao meios das publicações.

No lugar do trabalho, vemos um aumento no volume de publicações de casa, 15%, e a manifestação do termo café da tarde que passa a fazer parte do dia a dia dos brasileiros dentro de casa.

O café da tarde está relacionado principalmente às receitas de bolos, que levam leite e açúcar por exemplo, e de outros acompanhamentos.

Por fim as principais marcas publicadores diante do contexto do café.

Considerações

Com a mudança no consumo é importante acompanhar o novo envolvimento do consumidor do café dentro de casa além de monitorar o que as marcas estão comunicando no meio online.
As marcas poderiam avaliar possíveis parcerias com cafeterias que oferecem os acompanhamentos, como bolos, além de realizar comunicações cooperadas com marcas complementares ao café, como panificadoras.

Autor

Pâmela Gonçalves é formada em Relações Internacionais e trabalha com pesquisa de mercado desde 2011, quando começou sua carreira na indústria de bens duráveis. Como parte da sua jornada já trabalhou em instituto de pesquisa e traz experiência de diversos setores do mercado e atualmente atua como BI aplicando o social listening para capturar as mais variadas tendências.

Escreva um comentário