Em consequência do isolamento social, foi feito em abril um estudo no blog, analisando o que os internautas estavam falando sobre novos hábitos adquiridos, principalmente em relação a pele (skin care), diminuição no uso de maquiagens, entre outros.

Nesse primeiro estudo foi identificado que as pessoas estavam usando menos maquiagem e consequentemente a pele estava mais leve e esteticamente melhor. Com isso, 2 meses após o estudo decidimos monitorar o que as pessoas falavam sobre esse assunto.

Gráfico 01: evolução no tempo do Radar STILINGUE
Gráfico 01: evolução no tempo do Radar STILINGUE

O gráfico acima mostra a evolução do termo desde março até julho, onde o total de publicações coletadas foram de 323 mil.

Ao mesmo tempo que de março para abril houve um crescimento de 15% nas menções ao assunto, de abril para maio caiu em 5% e por fim, de maio para junho voltou a crescer para 13% o número de menções sobre skin care.

Skin Care nas redes

Dentre os canais monitorados, o mais utilizado por esse público foi o Twitter disparado, com 93% das menções, além disso o sentimento expressado nessas publicações foram em sua maioria positivas (29%) contra 22% negativas.

Gráfico 02: representatividade na internet do Radar STILINGUE
Gráfico 02: representatividade na internet do Radar STILINGUE

As 3 principais publicações seguindo o ranking AAA são das influenciadoras Maísa (twitter) , Lorelay Fox (youtube) e da empresa Magazine Luiza (facebook).

Selecionando os interesses dos internautas, 28% eram marcas. No gráfico abaixo, é possível identificar as principais marcas publicadoras sobre esse segmento de cosméticos:

Gráfico 03: Principais publicadores do Radar STILINGUE
Gráfico 03: Principais publicadores do Radar STILINGUE

Termos

Antes de mais nada, as temáticas que englobam o mundo do skin care atendia a praticamente todos os públicos: seja pessoas com peles oleosas, com manchas, ou com rugas. Juntamente com termos específicos como, produtos com Vitamina C, com Ácido Hialurônico e dicas e pedidos para os profissionais desse meio (Dermatologista).

Algumas pessoas ainda estão reticentes em realizar esses cuidados em sua casa sem indicação de profissionais especializados, pois já sofreram reações com algum tipo de produto, ou não confiam totalmente no que falam online. Por outro lado, existem os consumidores que realizam essa rotina diária de cuidado com a pele e que tem um bom resultado, e outros que compram vários tipos de produtos influenciados por dicas nas redes sociais, blogueiras ou amigos.

Considerações

Por fim, vale para as marcas do segmento de beleza monitorar o que seu público está falando de negativo ou positivo sobre seus produtos. Além disso, estar sempre atentos sobre o que falam das influenciadoras ligadas a marca, lançamentos e concorrentes.

Autor

Maria Cecília está no último ano da graduação de Publicidade e Propaganda. Começou a carreira em 2019 sendo trainee na área de Customer Success, hoje atua na área de Marketing. Foi intercambista durante 6 meses na Universidade Europea Miguel de Cervantes, na cidade de Valladolid, Espanha. Tem facilidade com organização e trabalhar em equipe. Participou de projetos como o monitoramento em real time do Teleton 2019.

Escreva um comentário